avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Mocho-galego
Athene noctua
Este pequeno mocho é a ave de rapina nocturna mais fácil
de observar, devido aos seus hábitos parcialmente diurnos.
O seu hábito de pousar em pontos altos, à beira da estrada,
torna esta espécie bastante conspícua.
Abundância e calendário
O mocho-galego é uma ave relativamente comum e encontra-se de
norte a sul do país. É uma espécie residente, que está presente no
país durante todo o ano.
É particularmente frequente em terrenos agrícolas com algumas
árvores dispersas e em olivais. Muitas vezes ocorre em ruínas ou
amontoados de pedras, que usa para nidificar. Está ausente em
zonas de altitude, bem como em áreas densamente florestadas.
Identificação
Pouco maior que um melro, o mocho-galego chama a atenção pela sua característica silhueta arredondada.
A plumagem é castanha, com malhas brancas, os olhos são amarelos. As suas vocalizações, que fazem
lembrar um latido, são facilmente audíveis, podendo ouvir-se vários indivíduos a responder uns aos outros
nas zonas onde a espécie é mais comum.

Por vezes bastante conspícua visualmente, esta rapina nocturna faz-se ouvir com frequência,
sendo fácil de detectar junto a localidades do interior.

Entre Douro e Minho pouco abundante nesta região, encontra-se sobretudo nos vales
de alguns rios, como o Cávado e o Ave. Pode ser observado junto ao parque da cidade,
em Guimarães.

Trás-os-Montesespécie pouco comum nesta região, onde pode ser observada com
relativa facilidade em zonas como Miranda do Douro, o baixo Sabor e a veiga de Chaves.

Litoral centroocorre em zonas como a lagoa de Óbidos, o baixo Mondego e o pinhal de
Mira.

Beira interiortrata-se de um mocho comum nesta região, nomeadamente no Tejo
Internacional e no planalto de Vilar Formoso.

Lisboa e Vale do Tejonesta região, destaca-se a zona de Pancas (no estuário do Tejo),
onde é relativamente comum. Também pode ser visto regularmente no cabo Espichel.

Alentejoos mochos-galegos são comuns no Alentejo, especialmente em zonas mais
abertas do interior, sendo fácil observá-lo na região de Castro Verde. Também podem ser
vistos na zona de Alpalhão, nas planícies de Évora e na lagoa dos Patos.

Algarve esta é a região onde o mocho-galego é mais fácil de detectar. Pode ser visto,
por exemplo, na ria de Alvor, assim como na lagoa dos Salgados, junto ao cabo de São
Vicente e no barrocal algarvio, de que é exemplo a Rocha da Pena.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites