avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Noitibó da Europa
Caprimulgus europaeus
Misteriosos e simultaneamente fascinantes, os noitibós são aves insectívoras de hábitos crepusculares. O
noitibó da Europa faz-se notar principalmente pelo seu canto que faz lembrar um insecto.
Identificação
As longas asas e a longa cauda, muitas vezes vistas em silhueta, é geralmente o que se consegue ver
desta curiosa ave, que sai para caçar depois do por-do-sol. Mais pequeno que o seu congénere
noitibó-de-
nuca-vermelha, o noitibó da Europa caracteriza-se por ter a plumagem predominantemente cinzenta, sem
qualquer colar ruivo em torno do pescoço (por isso tambem é chamado noitibó-cinzento). A fêmea distingue-
se do macho (e da fêmea de
noitibó-de-nuca-vermelha) pela ausência de manchas brancas nas asas.
Contudo, é através do canto que a separação das duas espécies de noitibó é mais fácil: o noitibó da Europa
tem um canto composto por um trinado contínuo, que ouvido nas noites quentes de Junho pode ser
confundido com o de uma cigarra.

Abundância e calendário
A distribuição do noitibó da Europa é, em certa medida, complementar da do noitibó-de-nuca-vermelha e
abrange principalmente a região a norte do Tejo. Embora não possa ser considerado abundante, é
relativamente comum em certas zonas, principalmente na confluência de zonas florestais com terrenos
mais abertos. É uma espécie estival, que chega bastante tarde – o seu canto raramente se faz ouvir antes
do final de Abril. Assim, é nos meses de Maio e Junho que este noitibó pode ser observado com mais
facilidade.
Sabe quando chegam
os primeiros noitibós da Europa?
Veja as datas
aqui
Onde observar

Devido aos seus hábitos crepusculares e nocturnos, a sua região de ocorrência é mal conhecida,
contudo é sobretudo a norte do Tejo que este noitibó pode ser observado.

Entre Douro e Minho – ocorre na serra da Peneda.

Trás-os-Montes – pode ser visto na serra de Montesinho e na zona de Miranda do Douro.

Litoral centroé relativamente comum nesta região, podendo ser observado em zonas
de pinhal, nomeadamente na região de Mira.

Beira interior – ocorre um pouco por toda a região, sendo a serra da Estrela um dos
locais onde pode ser ouvido a cantar com regularidade.

Lisboa e Vale do Tejopode ser observado na zona de Pancas (estuário do Tejo), no
paul do Boquilobo e na zona de Coruche.

Alentejorelativamente raro na região, distribui-se sobretudo ao longo da faixa costeira,
podendo ser ouvido a cantar no estuário do Sado e na zona da lagoa de Santo André.

Algarve ocorre principalmente durante a passagem migratória; o cabo de São Vicente é
um dos locais onde tem sido observado no início do Outono.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites