avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Andorinha-dáurica
Cecropis daurica *
O planar calmo da andorinha-dáurica, que contrasta com o voo mais agitado das outras andorinhas,
transmitem uma sensação de tranquilidade. O seu ninho, com um longo túnel de acesso, é muito diferente
do das outras andorinhas.
Abundância e calendário
A andorinha-dáurica é uma espécie estival, que geralmente pode
ser observada em Portugal de Março a Outubro. Embora ocorra de
norte a sul do país, não é uma ave muito abundante. De uma forma
geral é mais numerosa na metade interior do território,
escasseando no litoral. Nidifica frequentemente por baixo de
pontes e viadutos.
Sabe quando chegam as primeiras
andorinhas-dáuricas?
Veja as datas
aqui
Onde observar

O interior alentejano é, sem dúvida, a melhor região para observar esta andorinha.

Trás-os-Montesno  norte do país a espécie pode ser vista com facilidade no Douro
Internacional, por exemplo em Miranda do Douro e Barca d’Alva.

Litoral centro - a andorinha-daurica é pouco comum nesta região, sendo a serra de Aire
um dos locais onde ocorre com regularidade.

Beira interior a andorinha-dáurica está presente nas zonas raianas de Vilar Formoso,
Segura e Tejo Internacional, podendo também ser vista localmente na serra da Estrela.

Lisboa e Vale do Tejopode ser vista em Pancas (no estuário do Tejo) e na serra da
Arrábida. A norte de Lisboa é pouco frequente, mas tem sido vista com regularidade no
cabeço de Montachique.

Alentejo comum e bem distribuída, por toda a região; é mais numerosa na metade
oriental; alguns dos locais onde é frequente são: Alpalhão, barragem da Póvoa, Castelo
de Vide, Marvão, serra de São Mamede, Alter do Chão, ribeira do Divor, albufeira de
Montargil, albufeira de Alqueva, Mourão, Barrancos, Mértola e Mina de São Domingos.

Algarveobserva-se com mais facilidade nas zonas serranas do interior, podendo ser
vista regularmente na serra de Monchique e na serra do Caldeirão.
Identificação
Esta andorinha identifica-se principalmente pelo tom dourado das partes inferiores e do uropígio, que
contrastam com o resto da plumagem preta. A cauda é fortemente bifurcada. Distingue-se da
andorinha-das-chaminés pelo uropígio dourado e pela ausência de mancha vermelha escura na garganta.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
* - Nota taxonómica - em muitos guias de campo esta espécie surge com o nome Hirundo daurica. A
alteração de género para
Cecropis decorre das recomendações emitidas pela AERC e que estão
disponíveis para consulta
aqui. É de referir que nem todas as autoridades consideram esta alteração de
nome.