avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Pombo-torcaz
Columba palumbus
Identificação
É o maior dos nossos pombos. O tom cinzento da plumagem, incluindo a parte inferior das asas, e a sua
grande dimensão permitem separá-lo dos pombos domésticos. As grandes manchas brancas nas asas e
no pescoço, todas visíveis em voo, ajudam a confirmar a identificação desta espécie.
Abundância e calendário
O pombo-torcaz está presente em Portugal durante todo o ano, mas é consideravelmente mais numeroso
durante a estação fria, devido à chegada de numerosos indivíduos invernantes, oriundos de diversos países
europeus.
De uma forma geral pode ser considerado comum na época de nidificação (sendo contudo escasso no sul
do país) e localmente abundante no Inverno.
Onde observar

Na Primavera e no Verão, é mais fácil de observar na metade norte do país; no Outono e no
Inverno, é no Alentejo que ocorrem as maiores concentrações.

Entre Douro e Minho – bem distribuído, pode ser encontrado com relativa facilidade um
pouco por toda a região, desde o estuário do Minho até à serra da Peneda. Ocorre
igualmente na veiga de São Simão, na zona de Guimarães e no Parque da Cidade do
Porto.

Trás-os-Montes – o pombo-torcaz é relativamente comum no nordeste e pode ser
observado na serra da Coroa, na serra de Montesinho, na zona de Miranda do Douro.

Beira Litoral – ocorre principalmente nas zonas de pinhal, por exemplo no pinhal de Mira e
no pinhal de Leiria, sendo estes os melhores locais para procurar a espécie no litoral
centro.

Beira interior – pode ser visto na serra da Estrela, na região do Sabugal e ainda junto à
albufeira de Santa Maria de Aguiar. Na Beira Baixa é de referir a serra da Gardunha.

Lisboa e Vale do Tejo – o estuário do Tejo (na zona de Pancas) e a serra da Arrábida são
os melhores locais para observar este pombo – em ambos os locais ele está presente
durante todo o ano, embora seja mais numeroso no Inverno. Também ocorre nas serras
de Montejunto e Sintra, no cabeço de Montachique, na cidade de Lisboa e ainda em Tomar.

Alentejo – o estuário do Sado alberga um enorme dormitório de Inverno, sendo aqui que
podem ser vistas as maiores concentrações de pombos-torcazes do país. Outros locais
onde é frequente no Inverno incluem a zona de Alpalhão. Na Primavera as melhores zonas
para observar este pombo situam-se na região de Moura, nas serras de Odemira e na
serra de São Mamede. Ocorre também junto à ribeira do Divor e na zona de Marvão.

Algarve – Durante a época de nidificação apenas pode ser visto no interior da região,
nomeadamente nas serras do Caldeirão, de Monchique e de Espinhaço de Cão. Na
passagem migratória outonal observam-se esporadicamente bandos em movimentação
junto à costa, nomeadamente na ria de Alvor ou no cabo de São Vicente.
A visão de um bando de milhares de pombos, em voo para o seu dormitório, constitui um espectáculo
impressionante que merece ser presenciado por qualquer observador de aves.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites