avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Cotovia-de-poupa
Galerida cristata
A pequena poupa torna esta cotovia uma das aves mais
graciosas da sua família e que se distingue facilmente
de todas as outras aves, com excepção da
cotovia-montesina.
Abundância e calendário
A cotovia-de-poupa pode ser considerada uma espécie razoavelmente comum, embora a sua abundância
seja um pouco mascarada pelas dificuldades de identificação. Distribui-se principalmente, mas não
exclusivamente, pelas terras baixas do litoral. De uma forma geral é frequente em terrenos lavrados ou
incultos, nomeadamente em várzeas mas também na orla de zonas húmidas. É uma espécie residente que
está presente em Portugal durante todo o ano.
Identificação
Tal como as outras cotovias, esta espécie tem a plumagem de tons acastanhados. A pequena poupa é a
característica mais saliente e que permite facilmente identificar a ave como sendo do género
Galerida. A
distinção da
cotovia-montesina é bastante difícil e faz-se sobretudo com base na plumagem mais clara, no
bico com a mandíbula inferior recta, na contra-asa bege e no canto menos variado.
Onde observar

Esta cotovia é relativamente frequente nas terras baixas do litoral oeste português.

Entre Douro e Minho rara nesta região, ocorre na zona de Viana do Castelo.

Trás-os-Monteso seu estatuto nesta região é incerto, devido à confusão com a cotovia-
montesina.

Litoral Centro observa-se sobretudo na ria de Aveiro, nas dunas de São Martinho do
Porto e na zona de Peniche. Também pode ser vista mais para o interior, por exemplo na
serra de Aire.

Beira interioro seu estatuto nesta região é incerto, devido à confusão com a cotovia-
montesina. Um dos locais onde pode ser vista é a albufeira da Marateca.

Lisboa e Vale do Tejoé talvez a região onde a cotovia-de-poupa é mais abundante e
fácil de encontrar, pode ser vista no paul do Boquilobo, a serra de Montejunto, na Ericeira,
no cabo Espichel, nas lezírias da Ponta da Erva, na ribeira das Enguias, no paul da
Barroca e na lagoa da Salgueirinha.

Alentejoé mais comum junto à costa e pode ser vista no estuário do Sado e na lagoa de
Santo André. No interior do território é menos comum, sendo a zona de Elvas uma das
melhores para observar esta espécie.

Algarveé relativamente comum ao longo da costa e pode ser vista, por exemplo, na ria
de Alvor, no estuário do Arade, na lagoa dos Salgados e na Quinta do Lago. Também se
observam cotovias-de-poupa na reserva de Castro Marim e na ilha da Barreta (ria
Formosa)
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites