avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Picanço-real
Lanius meridionalis
Uma das características comportamentais que mais chama a atenção nesta ave é a capacidade de
armazenar alimento espetando as presas nos espinhos e arame farpado, facilmente identificáveis por
esses campos fora.
Identificação
O picanço-real é um passeriforme de tamanho-médio, maior que o picanço-barreteiro, também de cauda
comprida, bico robusto e adunco, com tons cinzentos no dorso, e rosado-pálido no peito e abdómen. Possui
ainda a típica mascarilha preta dos picanços, bem como as asas escuras.

Abundância e calendário
O picanço-real distribui-se de norte a sul, mas em densidades baixas, pelo que raramente é uma espécie
comum. É uma espécie típica sobretudo de zonas abertas, com pequenos bosquetes associados, ocorre
em Portugal durante o ano inteiro, mas no litoral norte e centro é principalmente invernante.
Onde observar

Este picanço prefere as zonas do interior norte e a metade sul do território, sendo fácil de detectar
devido ao hábito de se empoleirar em postes e fios.

Entre Douro e Minhoraro nesta região.

Trás-os-Montesé mais frequente na franja oriental da região, podendo ser visto em
locais como a zona de Miranda do Douro, o baixo Sabor e Barca d’Alva.

Litoral centro estes picanços observam-se na ria de Aveiro fora da época reprodutora.

Beira interiorobserva-se com relativa facilidade nas zonas de Celorico da Beira, do
Sabugal e de Vilar Formoso, assim como no vale do Côa e na zona da albufeira de Santa
Maria de Aguiar. Também está presente junto às albufeiras da Marateca e da Toulica e no
Tejo Internacional, embora em menor quantidade. Ocasionalmente observa-se na serra
da Estrela.

Lisboa e vale do Tejoos picanços-reais são frequentes no estuário do Tejo,
nomeadamente na zona de Pancas e nas lezírias da Ponta da Erva, bem como junto ao
paul do Boquilobo e nas áreas agricultadas da zona Oeste. Ocorre igualmente na
península de Setúbal, podendo ser visto no cabo Espichel, na serra da Arrábida e junto à
lagoa da Salgueirinha.

Alentejoé a região onde o picanço-real é mais comum; pode ser visto com facilidade
locais abertos. No norte alentejano, vê-se em Nisa, na barragem da Póvoa e na zona de
Elvas. Mais para sul, observa-se nas planícies de Évora, na zona de Mourão, na região de
Moura, na zona de Mértola e nas planícies de Castro Verde. Ocorre ainda no estuário do
Sado e junto ao cabo Sardão, locais estes onde existe em menor número mais ainda
assim com relativa facilidade de observação.

Algarveembora pouco comum na maior parte da região, pode ser observado junto da
ria de Alvor, na reserva de Castro Marim, no Ludo e na zona de Sagres, mas nalguns
destes locais ocorre apenas fora da época reprodutora.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites