avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Melro-azul
Monticola solitarius
Guardião solitário de uma fraga ou de um velho castelo, o melro-azul faz-se muitas vezes notar pelo seu
canto assobiado. É geralmente visto à distância, empoleirado no alto de uma fraga ou de uma muralha.
Identificação
É um passeriforme de tamanho médio, um pouco mais pequeno que o
melro-preto. O macho é facilmente identificável pela sua cor azul, que é
particularmente intensa durante a época de reprodução e um pouco mais
mortiça no Inverno. As asas são mais escuras e são frequentemente
mantidas em posição “descaída”. A fêmea é acinzentada e os juvenis
apresentam frequentemente manchas no peito. Pode ser confundido com o
melro-das-rochas, mas este último tem a cauda e o peito cor-de-fogo.

Abundância e calendário
O melro-azul é residente em Portugal e pode ser observado no nosso país
durante todo o ano. É geralmente uma ave solitária. Distribui-se de norte a
sul do país mas a sua distribuição é bastante fragmentada e a espécie não
pode ser considerada comum em nenhuma zona do território. No entanto,
apresenta um grande sedentarismo e permanece durante todo o ano junto
aos seus locais de reprodução, o que faz com que seja fácil de observar
em certos locais.
Onde observar

Sendo uma espécie característica de zonas rochosas, é neste habitat que ocorre com mais
frequência, embora muitos dos locais onde nidifica sejam de difícil acesso.

Trás-os-Montesos melhores locais para observar esta espécie situam-se no Douro
Internacional (por exemplo em Miranda do Douro ou na zona de Barca d'Alva).

Litoral centro - tem uma distribuição limitada nesta região, sendo a serra de Aire o melhor
local de observação.

Beira interior ocorre nas Portas de Ródão e na cidade de Castelo Branco. Localmente
também pode ser visto na serra da Gardunha, na serra da Estrela e na zona de Vilar
Formoso.

Lisboa e Vale do Tejotem uma distribuição restrita e existem poucos locais de
observação do melro-azul nesta região: na faixa costeira a espécie observa-se no cabo da
Roca e no cabo Espichel, ao passo que mais para o interior aparece na zona de Tomar.

Alentejo distribui-se principalmente pelo interior da região; uma das principais zonas de
ocorrência situa-se no norte alentejano, podendo a espécie ser vista com relativa
facilidade no castelo de Marvão, nos núcleos urbanos de Portalegre e Castelo de Vide e
na região de Nisa; o melro-azul tambem é frequente na bacia do Guadiana,
nomeadamente na região de Barrancos, na Mina de São Domingos e na zona de Mértola.
No litoral é mais localizado, ocorrendo nas zonas de falésias rochosas, como por exemplo
no cabo Sardão.

Algarvea zona de Sagres / cabo de São Vicente é o melhor local para ver o melro-azul
no Algarve.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites