avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Felosa de Bonelli
Phylloscopus bonelli
Esta pequena felosa, pouco conhecida dos observadores do litoral, é um ícone dos bosques de
carvalho-negral e dos pinhais do nordeste do território.
Identificação
O canto da felosa de Bonelli, composto por um trinado com a duração de cerca de um segundo, ajuda a
localizar e a identificar esta espécie, que frequenta sobretudo as copas das árvores. Do mesmo tamanho
que uma felosa-comum, caracteriza-se pelos tons verdes e acinzentados da plumagem. A coloração é
menos uniforme que a da felosa-comum, notando-se um contraste do uropígio esverdeado e da cabeça
acinzentada, onde se destaca o olho preto. O ventre é branco e as patas são escuras.

Abundância e calendário
Embora seja escassa em quase todo o litoral, esta felosa pode ser surpreendentemente abundante em
zonas de habitat adequado – este é composto por carvalhais ou sobreirais com sub-bosque bem
desenvolvido, que existem em mais quantidade na metade interior do território, o que ajuda a explicar a
maior abundância da espécie nessas regiões. A felosa de Bonelli é estival, que chega geralmente em
princípios de Abril e está presente até Agosto, mês em que existem bastantes observações de aves em
passagem, junto ao litoral.
Onde observar

Os carvalhais de carvalho-negral do nordeste e alguns montados de sobro com sub-bosque no
Ribatejo são os locais onde esta espécie é mais fácil de encontrar.

Entre Douro e Minho observa-se na serra da Peneda.

Trás-os-Montesé uma das melhores regiões para observar esta felosa, que pode ser
vista nas serras do Gerês e do Larouco, na serra de Montesinho, na serra da Nogueira e
na região de Miranda do Douro; ocorre igualmente na serra do Alvão.

Beira interiorfácil de observar na Beira Alta, particularmente nas serras da Estrela e de
Montemuro, bem como nas zonas de Vilar Formoso e do Sabugal.

Lisboa e vale do Tejoa região de Coruche é o melhor local da região para procurar esta
espécie. Na passagem migratória outonal é observada esporadicamente na serra da
Arrábida e no cabo Espichel.

Alentejocomo nidificante, pode ser vista com regularidade na serra de São Mamede, na
zona de Montargil, em Cabeção e na ribeira do Divor; observa-se também, mas em menor
número, no estuário do Sado.

Algarveocorre quase unicamente em passagem migratória, podendo ser vista no cabo
de São Vicente e na ria de Alvor.
Sabe quando chegam
as primeiras felosas de Bonelli?
Veja as datas
aqui
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites